fbpx

Desaparecida? Caso Peng Shuai repercute; atleta acusou político chinês de agressão sexual

Considerada uma das maiores estrelas do tênis da China, Peng Shuai está desaparecida desde o dia 2 de novembro, quando acusou um importante político do Partido Comunista chinês, o ex-vice-premiê Zhang Gaoli.

Conforme as acusações, Gaoli teria forçado a jovem a manter relações sexuais com ele.

O caso, que já estava repercutindo na imprensa internacional, ganhou ainda mais notoriedade após o veículo estatal chinês difundir um e-mail atribuído à tenista. No suposto texto, ela teria recuado e negado as próprias acusações contra o político.

“Não estou sumida nem estou insegura. Só tenho descansado em casa e está tudo bem”, diz correio eletrônico atribuído à ela.

O chefe da Associação de Tênis Feminino (WTA), Steve Simon, manifestou dúvida sobre a veracidade do conteúdo.

“A declaração divulgada hoje pela mídia estatal chinesa sobre Peng Shuai apenas levanta minhas preocupações quanto à sua segurança e paradeiro”, disse Simon.

“Tenho dificuldade em acreditar que Peng Shuai realmente escreveu o e-mail que recebemos ou acredita no que está sendo atribuído a ela”, acrescentou.

A denúncia de Shuai

O relato da tenista, cujas afirmações desencadearam uma crise no governo chinês, ocorreu na rede social Weibo, uma espécie de ‘Twitter chinês’. Logo após o post, o conteúdo foi censurado.

Os censores chineses interviram rapidamente para eliminar qualquer menção à acusação.

Desde então, Shuai não foi mais vista nem realizou qualquer outra publicação ou declaração pública, alarmando a comunidade global do tênis.

Repercussão

Recentemente, a entidade máxima do tênis feminino, WTA, reforçou ao governo chinês que investigue as graves acusações, além de frisar que a jovem deve ser “ouvida, não censurada”.

A lenda do tênis e campeã de 39 grand slams, Billie Jean King, escreveu no Twitter: “Esperamos que Peng Shuai seja encontrada em segurança e que suas acusações sejam amplamente investigadas”.

Chris Evert, ex-número 1 do mundo, também quebrou o silêncio: “Essas acusações são muito perturbadoras”, disse ela em um post no Twitter.

“Conheço Peng desde os 14 anos; todos devemos nos preocupar; isso é sério; onde ela está? Ela está segura? Agradecemos qualquer informação”, finalizou a ex-tenista.